Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de outubro de 2006

Avisserger megatnoc (Nilto Maciel)



9 - Fantasia

Colocou na face no rosto na cara mesmo a máscara para iludir a vida e fantasiar a noite. Escondeu como era possível esconder os traços de frente e de perfil. De todos os ângulos cabíveis. Não a boca tão necessária ao despejo uísque-uísque e enfio ou meto hiltons charutos os mais grossos e mais nauseantes. Não as narinas as ventas as crateras subterrâneas para farejar perfumes e suores. Não os olhos brilhosos ? opacos ? tristes ? alegres ? para ver olhar enxergar e espiar colombinas meninas tão lindas. Depois se vestiu do blusão multicolorido the falcon e da calçona listrada e calçou agachado as sapatilhas olympikus. Saltou diante do espelho nítido horrível palhaço ou feitiço danado que o fez recuar dançar saltitar passos atônitos e dizer de si para si ou para paredes estufados móveis coloniais que o baile seria inesquecível mas talvez o último o baile de máscaras a noite dos foliões a grande alegria que a vida merece ser vivida pulada fantasiada mascarada bebida fumada comida deitada caída saída vamos já vamos logo josé.

8 - Passport

Antes porém da partida do adeus da viagem da alegria sem-par necessária era o passaporte e ali sobre o barzinho o convite para outra viagem a passage aérea fantástica para o País do Sonho. Ajeitou como o fazem os viajantes que não sabem o fazer antes da viagem a gravata os punhos o colarinho os documentos nos bolsos os óculos na cara mas a fantasia toda máscara blusão the falcon listada menos as sapatilhas tão longe das mãos para ver melhor taça e garrafa que tremeluziam ou apenas luziam ou apenas tremiam ou era o bebedor ? e beber sossegado o último uísque só no lar na casa na bela e magnífica mansão como disse o colunista. Dois dedos apenas ou três não importa e o líquido encachoeirou-se ardente mas preciso e até precioso gostoso como o néctar ou elixir da eterna juventude que já se foi e não volta jamais ai de mim. De novo sapateou saltitou sorriu só riu e quase caiu também na poltrona macia e funda no fundo da sala clara e escura de portinaris e bandeiras estandartes não é o desfile de rua é baile no clube vamos josé agora vamos embora é hora josé.

7 - Mercedes voadora

Corra só corra josé socorra josé direto sem curvas para o baile de máscaras corra corra não pare não veja sinais vermelhos amarelos ou verdes nem pedestres pode ser sua mãe nem cachorros buldogues vira-latas nem latas não vire cuidado leve-me leve voe rápido como se fosse jato vassoura voadora bruxa dourada feiticeira doirada e volte e durma e revolte e me busque me ache me leve me traga para a cama o sono o sonho a fantasia não esqueça de tirar de meu rosto depois essa máscara má cara que eu sou bom bonzinho bom patrão não é josé? mas cuidado com meu carro meu caro cuidado cuide bem de meu carro mercedes cem mil ouviu? viu? cê viu? seu vil servil ser vil.

6 - O Baile de Máscaras

Já pulavam dançavam gritavam cantavam e a banda estridava acordes e sons de marchinhas sambinhas ranchinhos frevinhos gostosos. Meteu-se no meio das turbas das turmas juvenis mascarados quem sabe? já velhos ou velhas bebendo e já bêbados caindo sorrindo chorando loucura no baile de máscaras vestidos ou nus belos e belas quem sabe? Logo o cansaço que os anos não deixam pular tantas horas e correu ofegante para a próxima cadeira da próxima mesinha e pediu e bebeu mais um trago de uísque para ver e sonhar acordado consigo mesmo para não reconhecer novamente a incapacidade física de ser folião como um jovem qualquer seu filho ou amigo os roqueiros do bairro elegante.

5 - Meditações

Sozinho em meio à folia aos gritos cantares risadas passadas o passado voltou em sonho ou simples recordação que o uísque este uísque nesta noite de fantasia trazia. Os bailes antigos não calmos mas melhores não melhor era ele porque não tinha ainda cansadas as pernas o corpo os olhos a mente. Amigos vizinhos solteiros casados bebendo e cantando uns mortos outros vivos deitados sentados tranqüilos só lendo jornais e revistas ou vendo televisão. Mais um uísque senhor ? estamos às ordens ó ele dorme ou sonha acordado nem parece num baile de máscaras.

4 - A Bela do Busto Suado

De um salto assustado já não mais cansado já quase dormido de tanto pensar ou sonhar de novo voltou ao vasto salão.
Pulou abraçado ao busto suado de uma jovem mui bela que ria sorria gostava demais dos sons e dos passos dos gordos e magros esquecidos da vida passada e futura lá fora ou lá dentro de si. Foliou cantou que cantou cantigas da moda roques sambados. E gostou tão demais da morena de busto suado que jogou o cansaço debaixo dos pés e sorriu e falou que flor mais cheirosa vamos parar um pouquinho bater um papinho tomar uma soda de certo os suores passarão passageiros e noite de baile será mais longínqua querida ridinha quedinha aceitas ?

3 - Mercedes Dançarina

O papo foi longo longuinho que queres querida guelzinha assim vou chamar. Um uísque para mim outro para mim assim molharemos os lábios cansados de tanta secura. O baile prossegue segue seguindo que baile tão bom mas você é que é o bom deste baile que máscara horrível tem você neste palmo de rosto tão lindo eu vejo pela voz que você é mui bela belinha. Como te chamas querida guelzinha? Mercedes que nome tão lindo de meu carro tão caro. E você que cansou uma vez outra vez meu menzão ou bebe tão muito que tem por detrás deste queixo desta barba? E o papo se estirou apesar da folia gritaria guitarria cantoria por debaixo das mesas por entre as garrafas por sobre os mominos por todo o salão.

2 - Amores, Amores

E saíram abraçados enlaçados como dois namorados de paixão repentina serpentina. Mas no meio de todos dos tontos foliões ou por obra e graça do último uísque o namoro desfez-se.
Um samba mui quente levou a morena de busto suado nos braços de outro feliz folião e ele também saiu-se tão bem que faceira mocinha tomou-lhe a mão e levou-o pulando para um canto obscuro do grande salão.

1 - O Tempora, O Mores

E o amor foi tão grande que a fome e sede de amar era tanta em um e em outro que os pêemes postados não para molestar os ricos pançudos mas para evitar confusões passageiras tiveram que agir de maneira tão brusca. Arrancadas as máscaras foi tão grande o espanto de um e de outro que os pobres pêemes irritados ainda mais nada fizeram senão escutar o pai e o filho saírem chorando para os cantos escuros do grande salão.

0 - Tragédia clássica na corte de Momo

E foi tão grande a tristeza do rico falcão ou foi por demais inclemente o passport bebido pedido pra sorte ou a morte de porte tão forte ou a viagem havida na mercedes veloz fugidia no meio da folia lhe dera por sina porções incolores de etéreo viver que do lado de fora do clube elegante foram encontrar seu corpo esmagado por rodas ferozes de um bicho qualquer.
/////