Pesquisar este blog

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Navegador (Fernando Py)


Primeiro volume de poesia do autor, muito mais conhecido como ficcionista. Mostra um poeta com bastante domínio da técnica do verso, um poeta que sabe dar valor às palavras e que exibe um variado repertório temático (de admirar em poeta estreante). Convém notar que, na imensa maioria dos poemas, o tom predominante é o de um pessimismo intenso, visceral, o que o impede por sua vez de cair num romantismo sentimentalista muito comum em poetas de estilo coloquial como o seu. O coloquial em Maciel, contribui para a intensificação de uma postura niilista - entremeada com o saudosismo dos tempos passados - que, apesar de tudo, não desmerece a sua poesia. Para preferir, notamos os poemas intitulados "Tempos", "Herança", "Acalanto", "Escuridão", "Odisséia Interior", "Navegador", "Persona", "A Morte Não Tarda" e "Testamento".
(Diário de Petrópolis, Petrópolis, RJ, 6/10/1996)
/////