Pesquisar este blog

segunda-feira, 7 de maio de 2007

No rastro da História, Nilto Maciel pega o fio da meada e alinhava livro sobre os contistas do Ceará (Valdivino Braz)



O advogado, escritor e articulista Nilto Maciel, cearense afeiçoado e dedicado à literatura, tanto na produção quanto na divulgação da mesma, durante vários anos residiu e militou em Brasília, antes de mudar-se para Fortaleza, capital do Ceará. É de lá que ele envia, para uma informativa leitura e divulgação em Goiás, o livro Panorama do Conto Cearense, de sua autoria, entre outros que ele já produziu e publicou, nas áreas do conto, romance e poesia, além de resenhas de livros em diversos veículos da imprensa brasileira.
A militância de Nilto Maciel com a literatura se estende por uma longa trajetória e preenche um vasto currículo, inclusive pela produção e edição da revista Literatura, que já atingiu o trigésimo número e circula aí pelo Brasil afora.

Obras do autor foram reconhecidamente premiadas em concursos nacionais e são alvo de uma fortuna crítica que só lhes atesta a qualidade e o talento de quem as produziu, seja pela força criativa, seja pela densidade temática e por uma estética refinada, numa fusão de vida, beleza e verdade, que são atributos de consolidação literária.

Com o selo da editora Códice, de Fortaleza, Panorama do Conto Cearense, que resulta um ensaio proficiente e oportuno, imprime-se como irradiador de informações sobre os contistas cearenses, desde as primeiras publicações de narrativa curta até os dias atuais. Entre outros aspectos, a obra enfoca a transformação do conto cearense ao longo do tempo, paralelamente aos modelos universais. Situa cada contista em sua época e ressalta a importância de cada um deles. De resto, um panorama a servir de subsídios aos estudiosos de literatura, escritores, professores, estudantes e quem mais se interesse por livros e pela história da literatura brasileira como um todo, no mosaico de estilos que a compõem e no potencial criador da arte com idéias e palavras.

(Publicado no jornal O Estado de Goiás, Goiânia, 30/3 a 5/4/2006)
/////