Pesquisar este blog

domingo, 1 de agosto de 2010

Tempo (Emanuel Medeiros Vieira)




Em memória de Evandro Magalhães e de Stuart Angel
Para Maura Soares


Dizei-me em tempo o que é o tempo?
Senhor, antes de cruzar a ponte, Ensinai-me:
linha reta de eterna agonia?
bússola na encruzilhada?
Sim, o choro de uma menina nascida na luz de agosto,
de um menino junto à flor de maio.

É o vento?
O espaço?
O mar?

Meus mortos não me respondem, Senhor.
Tempo: não o retenho -
areia da praia que escapa da mãos.

Lapso no cosmos,
cometa errante,
eu sei, Senhor: assim sou:
pretérito menino contemplando a gaivota,
sentado no trapiche da Praia de Fora.

(Salvador, julho de 2010)
/////