Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Rahakanariwa (Rodrigo Novaes de Almeida)

                             (L'enfer, Hortus Deliciarum, de Herrade de Landsberg: 1125-1195)


– espírito abutre, entidade canibal, devorador de pombas

virgens, luas cheias brancas e senhor dos corvos –

-

Ivan observará o desenho em nanquim e nada falará. Uma montanha coberta de neve. Dentro da sua alma. Estranhamento. A aldeia mais próxima estava do outro lado do vale. Um lago negro se estendia até os seus pés. O musgo se estendia até as primeiras ruas da aldeia. Havia apenas uma estrela no céu, que tudo iluminava, menos o lago negro. Os camponeses trabalhavam. Os artesãos trabalhavam. Os comerciantes trabalhavam. As prostitutas dormiam. Enquanto os monges oravam. Os soldados marchavam para mais uma guerra. E as feiticeiras dançavam nuas na floresta. O poeta da aldeia morrera afogado no lago negro na última noite de lua cheia.

-

Ivan observará o desenho em nanquim e nada falará. Um fluxo de consciência abruptamente interrompido; realidade fissurada e a trilha sinuosa da mente exposta pelo silêncio. O silêncio dos mortos. Horror!

-

Ivan observará o desenho em nanquim e nada falará. E três vezes trezentos e trinta e três Rahakanariwa, espírito abutre, entidade canibal, devorador de pombas virgens, luas cheias brancas e senhor dos corvos, renascerá. E mil anos se passarão. Ivan observará o desenho em nanquim e nada falará.

-

Uma montanha coberta de neve. Dentro da sua alma. Estranhamento. A aldeia mais próxima estará do outro lado do vale. Um lago negro se estenderá até os seus pés. O musgo se estenderá até as primeiras ruas da aldeia. Haverá apenas uma estrela no céu, que tudo iluminará, menos o lago negro. Os camponeses trabalharão. Os artesãos trabalharão. Os comerciantes trabalharão. As prostitutas dormirão. Enquanto os monges orarão. Os soldados marcharão para mais uma guerra. E as feiticeiras dançarão nuas na floresta. Mas o poeta da aldeia não morrerá afogado no lago negro na última noite de lua cheia.

* Do livro Rapsódias – Primeiras histórias breves (Ed. Multifoco, 2009)
Rodrigo Novaes de Almeida (Rio de Janeiro-RJ, 1976).
/////