Pesquisar este blog

domingo, 19 de junho de 2011

Pai (Teresinka Pereira)



Foste a seiva compartilhada
que se transformou em minha vida.
Quando eu nasci me registraste
e pelo resto da vida
confirmaste este incondicional
amor de pai.

Durante as tormentas
que sofremos pela escolha
que fiz e na política que segui
sempre foste o mais forte
e me ajudaste quando a corrente
me arrastou para o exílio sem fim...

Pai, agora que sinto a tua falta,
és mais forte que nunca
em minha recordação
e nesta luta que fazemos
contra o descaminhar humano
e a dor do tempo.


/////