Pesquisar este blog

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Ao que é comum a nós (Inocêncio de Melo Filho)



Adélia prado
Li suas indagações
Elas agora são minhas:
Eu sou poeta? Eu sou?
Que me venha uma resposta verdadeira
Esgotando a dúvida que se fez no tempo
Que embranqueceu os nossos cabelos...
/////