Pesquisar este blog

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O ocaso (Carlos Nóbrega)



 
No cairzinho da noite
os velhinhos da rua Barros Leal
arrastam velhas cadeiras negras
para diante da rua
e se aconchegam em seus colos
tão íntimos.
Fazem isso desde quando
existe tarde,
desde sempre.
E as cadeiras
automatamente
por força do hábito
põem-se a se balançar sozinhas –
Vagarosamente
Penosamente,
como velhas babás descadeiradas.

/////