Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Anoitecer (Teresinka Pereira)


Chove dentro
e fora de minha alma.


O carteiro chega sem poesia
e me diz descaradamente
que ainda sou jovem.


Se o fosse,
não seria preciso dizer.


Era a tua poesia
que me mantinha jovem.


Agora, começa a anoitecer.


/////