Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Atalho (Mariel Reis)


(Abismo, de Manecas Camelo)



É um caminho sem retorno
Um abismo ali dentro luzia,
O diabo pousa no contorno
Das suas pernas fugidias.


É perceptível o morno hálito
Desprendido na correnteza
Do ar. Traje negro e sumário
Que esconde toda sua beleza


O andamento imita a leveza
Sucinta de um poema chinês,
Sem tradução em português
Devido à tamanha agudeza:


Vestida de verdes labaredas
Apascenta dentro do incêndio,
O imenso e variado compêndio
De todas as minhas incertezas.


O demônio ali em sussurro
Risca o corpo como um muro
O desejo desenhado a giz
São as linhas em tumulto
Perfazendo a graça do vulto.
....
Um abismo ali luzia
Nas suas pernas fugidias...

/////