Pesquisar este blog

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Epigramas (Hilton Valeriano)



Não perde o amor o préstimo da vida,
senão com ínfimo amor quem lida.
***
Amor, raro,
de ilusões não se vende,
apenas quem consente
o valor de quem mente.
***
(Ao poeta Rommel Werneck)
Há uma luz para poucos,
como o trigo em colheita escassa.
Mas sua essência perdura
– Divina Graça –
aos eleitos de obra rara.
***
(Ao poeta Silvério Duque)
A arte, em seu ímpeto,
torna-se ventura.
Assim o poeta, em seu ofício,
de palavras perdura.
***
(Ao poeta Jorge Elias Neto)
Do que se faz ou do que se espera,
da verdade dita e não ouvida,
fica a mentira
em que cada um habita.


/////