Pesquisar este blog

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Uns aforismos (Hilton Valeriano)


5
Para todas as formas de amor há sempre uma maneira de se compartilhar a solidão.

13
As ocasiões para o amor são sempre repentinas. O que explica a inconstância dos relacionamentos.

15
No amor raramente perdoamos o sentimento de vingança.

16
Também destruímos ao amar.

17
Nem mesmo no amor prescindimos da solidão.

18
No ofício do amor os corpos transgridem o espírito.

20
Amor: cobiça do corpo.

22
Amor: raro enleio em meio ao incerto jogo das representações.

23
Não somos culpados por amar e sim por sermos amados.

26
No sexo a carne transfigura o espírito submetendo-o. Assim, os mais íntimos desejos prevalecem sobre a moralidade e o animal vence a civilidade.

/////