Pesquisar este blog

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Algumas palavras finais (Henrique Marques-Samyn)



Há pouco mais de um ano, em agosto de 2011, a revista literária Clave Crítica era inaugurada, com a proposta de publicar semanalmente textos críticos e ensaísticos sobre a literatura lusófona contemporânea. Embora ocasionalmente a revista acolhesse textos publicados em outros periódicos, a esmagadora maioria dos ensaios e resenhas publicados seria inédita - não raro, tratando de livros que, publicados por casas editoriais pequenas ou autores independentes, não encontraria espaço em outros veículos.

Se hoje anuncio o encerramento da Clave Crítica, isso se deve a vários fatores; os mais importantes são a dificuldade em conciliar o trabalho exigido para a leitura e análise das obras com as demandas acadêmicas e a falta de um apoio que me permita conciliar o tempo investido na revista com as atividades profissionais. A proposta da Clave Crítica sempre foi oferecer leituras aprofundadas, embora sucintas, na contramão da tendência à publicação de resenhas levianas hoje predominante na maior parte dos "suplementos culturais"; o abandono desse princípio, visando meramente a viabilizar a manutenção do periódico, não se justificaria.

Julgo que, ao longo do único ano em que a Clave Crítica permaneceu online, seus objetivos foram ao menos parcialmente alcançados. Uma parte significativa dos textos aqui publicados não se debruçou sobre as obras de autores "consagrados" ou presentes no catálogo das grandes editoras; muitas das obras brasileiras aqui analisadas provieram de estados fora da região Sudeste, sabidamente a de maior alcance midiático. Talvez por isso a revista, com raras exceções, tenha tido um volume de visitação invariavelmente baixo, o que de algum modo reflete o perfil do escasso público leitor brasileiro.

Gostaria, finalmente, de agradecer aos colaboradores que, enviando textos para publicação na Clave Crítica, demonstraram sua confiança no projeto: Luiz Guilherme Barbosa, Leonardo Barros Medeiros e Mariel Reis, bem como a todos aqueles que de algum modo o apoiaram, especialmente Nilto Maciel e Marcos Pasche. A curta vida de Clave Crítica só foi possível, apesar de todos os obstáculos, graças à sua colaboração.

PS. Caso queira deixar registrados seus comentários sobre o fim da revista, peço que, por favor, visite o endereço 
http://clavecritica.wordpress.com/2012/08/13/algumas-palavras-finais

/////