Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Equívoco (Mariel Reis)












Uma jovem lhe escreveu um bilhete
E o embebeu em uma fragrância
Tão doce que a julgou perfeita
Para o casamento.

Respondeu ao bilhete
Com grande entusiasmo
E a advertiu de que a sua casa
Seria a mais bonita e iluminada.

Preparou tudo em sua aldeia
Ornou a casa com flores e lanternas
E se postou sentado à varanda
À espera da chegada da jovem.

Embora o leitor julgue
Que ele espera a morte,
Está totalmente enganado
Foi apenas vítima de um trote.

/////