Pesquisar este blog

sábado, 28 de setembro de 2013

O olhar panorâmico de Nilto Maciel (Marcos Lima)




Chegou à minha residência, há uns dois meses, o novo livro de crítica literária de Nilto Maciel e estava devendo uma justa resenha para a obra. Interessa-me sempre a forma de escrita de Nilto, que, além de arguta e precisa, mantém uma característica tão importante e esquecida nos dias atuais: a visão do todo. Nilto é o crítico que, por meio das minúcias, nos ensina a enxergar e perscrutar toda a cena literária e não apenas uma pequena parte dela.

Em um mundo de especialistas que cada vez mais conseguem enxergar apenas uma minúscula faceta de um assunto, Nilto tem a capacidade de sair do micro para o macro, como não se vê em quase nenhum crítico dos dias de hoje. Este estilo de crítica literária, do qual o melhor exemplo é o canônico História concisa da literatura brasileira, de Alfredo Bosi, não costuma ser escopo de grande parte da crítica, porque, a despeito de sua qualidade, ele configura uma empreitada trabalhosa demais e de grande fôlego intelectual.

O que vemos hoje na crítica literária é a crítica das minúcias: a análise de uma pequena tendência dentro de uma obra, obra esta inserida na vasta produção de um ator de um período literário mais amplo ainda. Estudos como o de Nilto
já feitos também pelo sobredito Bosi e outros nomes de igual fôlego intelectual como Antonio Cândido e Sânzio de Azevedo são raros e, por isso, ainda mais importantes e necessários.

Se o esforço crítico inicial em Panorama do Conto Cearense nos dá dados importantes, em uma abordagem rápida de seu tema, mais bem trabalhado e cristalizado em Contistas do Ceará: D'A Quinzena ao Caos Portátil, que funciona como uma edição completa do primeiro uma espécie de história concisa do conto cearense , agora, em Gregotins de desaprendiz, temos a maestria de quem já domina a exposição de um panorama e também o retratar de toda a cena literária de um período ou gênero e, sendo assim, mostra-nos tudo.

De forma concisa como em Panorama, mas com uma crítica tão apurada quanto a de Contistas, Nilto agora não passeia somente por seus conterrâneos, mas abre o leque para o cenário nacional: é a maturidade crítica de uma vida literária que hoje coroa Nilto Maciel com a facilidade no trato do texto e o olhar apurado para a crítica.


(hapoesiaemcadadia.blogspot.com.br, blog de Marcos Lima, 31/7/2013)

/////