Pesquisar este blog

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Sevandija (Vianney Mesquita)




 
















Seguramente em erro o mau Destino
Equivocadamente concedeu
A existência enorme desatino!
À abjeta criatura que sou eu.

Incapaz de operar boas ações,
Falso, infido, tratante e imoral,
Nas mais diferentes situações,
Tudo o que fiz foi para o bem do mal!

Nem de morrer, sequer, tenho coragem
E até a morte foge à minha imagem,
Porque não faço jus ao lume eterno.

Decerto Satanás negue o decesso,
Pois se à Geena eu tivesse acesso,
Congelaria o fogo do inferno.
(...)