Pesquisar este blog

sábado, 15 de março de 2014

Enquanto espero na fila (Inocêncio de Melo Filho)




Enquanto espero na fila
Penso em Byron
Enquanto espero na fila
O tempo passa
Escovo palavras para um poema
Que não chega
Enquanto espero na fila
As coisas que nasceram morrem
E Byron ainda tem razão
Enquanto espero na fila
A poesia de Byron me inquieta entre os mortais
Que se destinam à morte
Alheios aos meus pensamentos. 

/////