Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de março de 2014

João Galamarte (Diogo Fontenelle)





Para o Poeta Prosador Nilto Maciel, um Sempre Menino.

Brinquedinho joão galamarte inventado pelas mãos do avô,
Ou comprado pelas festas dos santos padroeiros do sertão,
Entre joão-teimosos, cavalinhos de pau, e piões de camelô...
João galamarte a pendular nos ares e mares da imaginação...

Infância singela, rendada e bordada à mão pela avó Juracy,
Tecelã de estórias do Faz-de-Conta pelos luares do jardim...
A bordo do joão galamarte, vou pelo impulso do avô Pery...
Tempo entre chamas lilases pelo coração de rosa carmim...

João Galamarte feito do oitizeiro em dia azul ensolarado,
Vai singrando o mar dos sonhares de menino marinheiro
Pelo embarcar e desembarcar de um viver desencantado,
Entre os portos da esperança em florações de jasmineiro...


/////