Pesquisar este blog

sábado, 5 de abril de 2014

Salobra lembrança (Clauder Arcanjo)



Longe ficaram: a crua infância, desatino da procura,
O berço da utopia, rosnar de luta, usura e loucura.

Longe deixei: o catarro no peito fraco, a posse de araque,
O anzol preso na linha; sem peixe, sem figa, basbaque.

Hoje, tão perto e em goma de crueldade, atino e não decifro,
Pois o que me ficou, tal quisto, é a saudade doida de arraste.

/////