Pesquisar este blog

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Nilto Maciel - Eternamente!




Em 2010, acompanhando o blog Literatura sem fronteiras, pensei: “Um escritor como Nilto Maciel merece uma mídia melhor, um espaço mais bonito, mais funcional.”. Este blog era o que nós blogueiros chamamos de um “trambolhão”. Não em seu conteúdo, que sempre foi um luxo, mas em seu layout, em seu visual. Até aquele momento era.

Aí tomei coragem e enviei uma mensagem ao Nilto. Assunto: sugestões técnicas de como deixar o blog mais embelezado, mais funcional, mais atraente. Eu nunca havia falado com ele. E recebi uma resposta que me surpreendeu: sem fazer ideia de quem eu era, enviou-me o login (uma conta no Gmail) e a senha do blog! E me disse, mais ou menos, assim: “Faça aí o que puder!” E eu fiz. Dei uma geral no layout, criei páginas, enfim, melhorei o visual e algumas funções. Tudo na camaradagem. Ele gostou e me disse que seus amigos também gostaram. Senti-me satisfeito, pois estava contribuindo com o que eu sabia, para que a mídia de um dos mais interessantes escritores do Ceará tivesse mais êxito em sua meta.


Nilto sempre insistiu em que eu colocasse meu nome num espaço (uma página), que me assumisse como co-editor. E eu dizia: “Homi, deixe isso pra lá! Não se preocupe, que meu interesse é apenas ajudá-lo no que puder.” E assim viemos de lá até aqui melhorando o blog, ele me perguntando sobre ferramentas que poderia utilizar e eu, na medida dos meus conhecimentos, contribuindo com o que podia. Sentia-me cumprindo um dever para com ele, mas, sobretudo, para com a literatura e afins.

Sempre recebi de Nilto, através dos correios, exemplares de seus livros, uma gentileza de sua parte. E também, vez ou outra, nos comunicávamos, ele me perguntava como andavam as coisas, me enviava seus textos, etc. Foi a nossa parceria.

Agora, como humilde co-editor do blog, senti-me no dever de dizer algo sobre sua partida e aqui estou. Ao certo, nem sei o que dizer, ainda tomado de espanto que fui pelo súbito da notícia de seu falecimento. Quem me comunicou foi o escritor Pedro Salgueiro. Tomei um susto! Depois, vi matéria no jornal O Povo: Escritor Nilto Maciel é encontrado morto em casa. Em seguida, li um comovente texto do Raymundo Netto, escritor a quem admiro: "Nilto Maciel: quando se tornou Imortal!", homenagem ao grande escritor (30.04).

Confesso: jamais gostaria de vir aqui para dar notícia da morte daquele que para mim era (e continuará sendo) um mestre, uma inspiração ótima e uma pessoa amiga. Mas já que assumi a co-edição, achei que deveria dizer algo. E vou resumir em poucas palavras: muitíssimo obrigado por tudo, caro Nilto Maciel! Eu sou quem te agradece por me deixares participar deste projeto!

Não sei qual o destino do blog de agora em diante, visto seu comandante não estar mais aqui para postar todos os textos e poemas dos seus muito amigos, escritores dos mais diversos lugares. Mas isso é um assunto para depois.

À família do Nilto, meus votos de pesar, a minha solidariedade. Aos seus amigos mais de perto, amigos de conversas, trocas, parcerias literárias, o meu abraço. A todos os assinantes do blog, pessoas que o acompanham diariamente, gratidão! Enfim, aos que admiram a figura e a obra de Nilto Maciel, uma recomendação: não deixemos que tudo isso caia no esquecimento! Sejamos os divulgadores, os incentivadores desse trabalho todo, de seus livros, de suas ideias, sobretudo de seu exemplo de paixão e entrega. Que hoje, amanhã e sempre mais e mais pessoas possam ler o que ele escreveu no decorrer de uma vida inteira dedicada à literatura. É isso!

Saudades!


Webston Moura
Russas-CE

//////