Pesquisar este blog

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Poemas (Antônio Agostinho Santiago*)

Menino com Cabras - Mário Zanini


Reminiscência

Do passado eu recordo a ingratidão;
Minha infância, meu lar, minha família.
Inda tenho a primeira juvenília
Que eu cantava no velho casarão.

Malhadinha querida, meu rincão!
Um cenário de luta e de vigília,
Que ficara a rondar como quizília
No meu rústico e triste coração.

Quando a morte levou mamãe querida,
A tristeza infestou nossa guarida
Nos deixando na grande solidão.

Lendo agora, por sorte, meus anais,
Vejo a foto macabra dos meus pais,
Choro e grito atônito de emoção!



A Casa do Meu Avô

Numa parede comprida
Restos da matolagem
Apetrechos de viagem
Da nossa gente querida.

Naquela velha guarida
Uma bonita alpendragem
Simbolizando a linhagem
Daquela casta aguerrida.

No pátio do criatório
O tamarindo simplório
Reduto dos passarinhos.

Com meu pensamento lampo
Descrevo a casa de campo
Relíquia dos Agostinhos.


___________________________________
Antônio Agostinho Santiago é natural de Russas-CE. Poeta e repentista, cantador de viola, teve pouco acesso a escola, mas foi o suficiente para tornar-se ávido leitor. Não tem livros publicados, mas tem um blog: Caminhante do Sol - agostinhas veredas versejadas.

///