Pesquisar este blog

domingo, 10 de julho de 2011

Oleg Almeida: poeta e tradutor bilíngue


Oleg Almeida é considerado "poeta de dois mundos" (Marco Lucchesi). Nascido em 1º de abril de 1971 na Bielorrússia, uma das repúblicas ocidentais da então União Soviética, ele ganhou certa projeção nos meios artísticos do país natal e, vindo ao Brasil com 34 anos de idade, adotou o português como língua de criação literária. Seu livro de estreia, romance poético Memórias dum hiperbóreo, foi lançado pela Editora 7 Letras em 2008 e mereceu elogios de vários intelectuais e poetas lusófonos. Seu novo livro Quarta-feira de Cinzas e outros poemas, também publicado pela 7 Letras (2011), está "entre as melhores propostas poéticas brasileiras do século XXI", segundo o autor do prefácio, Cláudio Murilo Leal.

Oleg Almeida traduziu do francês O esplim de Paris: pequenos poemas em prosa de Charles Baudelaire (Martin Claret, 2010) e Os cantos de Bilítis de Pierre Louÿs (Ibis Libris, 2011); traduziu do russo Canções alexandrinas de Mikhail Kuzmin (Arte Brasil: 2011); verteu para o russo a peça teatral Tu país está feliz (Thesaurus, 2011) e uma série de poemas avulsos de Antonio Miranda. Tem-se dedicado, igualmente, às traduções científicas, técnicas e comerciais.

Sócio da União Brasileira de Escritores (UBE/São Paulo), Oleg Almeida colabora com as revistas "EisFluências" (Recife) e "(n.t.) - Revista Literária em Tradução" (Florianópolis), administra o projeto "Stéphanos: Enciclopédia virtual da poesia lusófona contemporânea", mantido em seu sítio pessoal, e atua como agente cultural em Brasília.

Oleg Almeida tem a honra de convidá-los, caros amigos, a conhecerem algumas amostras de seu trabalho literário, disponíveis na página www.olegalmeida.com, e aproveita a ocasião para oferecer-lhes, caso haja necessidade, seus serviços profissionais como tradutor altamente qualificado do idioma russo.
/////