Pesquisar este blog

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Obséquio (Pedro Du Bois)




Obsequio o soneto: digo em versos
o muro erguido em tijolos diversos
guardam espaços inatingíveis, empilham
frutos ao relento. Recubro o soneto em ventos
soprados na expressão do verbo. Realizo
em sons o tormento do mar sobre as pedras.
Sobre as pedras ergo o muro: tijolo
resultante do cozimento do barro; início
cristalizado separa mundos: declamo
obsequioso o soneto. Silencio
paredes e portas em adjetivos.
/////