Pesquisar este blog

sábado, 30 de junho de 2012

Espelho (Teresinka Pereira)




Hoje meu zelo
uma vez mais
destruiu a morte
precisamente
quando sussurrava
uns fragmentos
sobre o destino.

Voltei-lhe
o olhar errante
e despedacei
seu véu rutilante
deixando-a nua
diante do espelho.

/////