Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de agosto de 2011

A escrita da precisão (Dellano Rios)

(Diário do Nordeste, Caderno 3, Fortaleza, 30 de agosto de 2011)



Um dos principais nomes da arte do conto (numa terra fértil em contistas), Nilto Maciel lança seu novo livro, reunião de histórias inéditas, entre guardados e novas produções


Nascido em Baturité, o escritor Nilto Maciel é autor de uma obra que ganha intensidade com o tempo. Não que os feitos do passado sejam poucos. Ainda em 1977, ele organizou, com Glauco Mattoso, uma antologia do conto marginal "Queda de Braço". Contudo, ao invés de muitos veteranos que perdem o fôlego e se entregam ao ocaso de obras repetitivas, Maciel está disposto a arriscar-se, não só em contos e romances novos, mas no trabalho como blogueiro (em que divulga o trabalho de novos e velhos autores, não devidamente apreciados) e como antologista (vide a indispensável "Contistas do Ceará: D´A Quinzena ao Caos Portátil", de 2008).

Seu novo livro, a coleção de contos "Luz vermelha que se azula", reúne mais de 60 histórias. A maior parte é composta por novas produções do autor, escritas (e datadas) entre 2005 e 2007 - num ritmo, segundo o próprio Nilto Maciel, "de mais ou menos um novo conto por semana".

A outra parte é formada por textos que ficaram guardados na gaveta do autor, por algumas décadas, esperando uma reavaliação sua - ou que a sorte da literatura, da transformação da escrita de Nilto Maciel lhes conferisse novos sabores.

Um dos ganhadores do Prêmio Literário para Autor (a) Cearense, da Secretaria da Cultura do Estado (Secult), na categoria Moreira Campos (contos), o livro será lançado, hoje, às 19 horas, na galeria do Teatro Sesc Emiliano de Queiroz. É que o autor é o convidado do dia do projeto Bazar das Letras, programação mensal dedicada a literatura, que tem recebido, sistematicamente, autores brasileiros (sobretudo cearenses) para falar de suas obras.

Prosa

Nilto Maciel dividiu seu livro em três partes. Na nota de abertura, ele alega que "a sequência dada a eles não tem importância" (ao leitor cabe desconfiar dos ficcionistas: por que, então, a ordem não é alfabética ou cronológica, por exemplo? Que padrão os ordena?). Contudo, o escritor deixa claro: as três partes, como se tratasse de livros distintos, são enlaçados a partir da origem e da natureza das histórias neles presentes.

A primeira parte agrupa o que Maciel define "contos acolhidos", aqueles que, para o autor, chegam por inspiração, numa relação algo sagrada com certo inconsciente coletivo. Dentre estes, destaque para "Diálogo de protagonistas", que narra uma disputa entre Deus e o Diabo pelo direito de arbitrar quanto ao destino dos homens; e "Onde fica o inferno", fábula que recupera a crueldade natural - e um tanto esquecida - ao gênero.

A segunda, os "contos de memória", contorções das lembranças de Nilto Maciel. "Solano Lopez para iniciantes" retrata o despertar erótico, permeado pela misoginia característica dos meninos, e sintetiza bem o teor desta parte do livro, em que o sonho e a ficção redimensiona o que foi lembrado.

Por fim, o escritor envereda pela história, num vai e vem entre personagens e episódios que tornaram-se célebres e a ficção, que os reacomoda, que os ressignifica e os reinventa.

CONTOS
"Luz vermelha que se azula"
Nilto Maciel
Expressão gráfica, 2011
212 páginas
R$ 30
Lançamento, no Bazar das Letras, às 19h, na Galeria Sesc Emiliano Queiroz (Av. Duque de Caxias, 1701, Centro). Contato: (85) 3452.9032


FIQUE POR DENTRO

Bazar das Letras

Criado há pouco mais de três anos, o projeto Bazar das Letras é promovido pelo grupo de leitura Abraço Literário, mantido pelo Sesc-CE. A proposta é valorizar a literatura (sobretudo a produção cearense) e temas do universo da produção literária, por meio da aproximação entre o escritor e o leitor. O programa funciona como uma espécie de entrevista aberta com um autor, com a participação da plateia. Mais de 40 escritores já passaram pelo projeto, conduzido por Carlos Vazconcelos, que orgulha de não ter repetido nenhum nome.

/////