Pesquisar este blog

sábado, 21 de abril de 2012

Reality show (Silvério da Costa)

Contos reunidos – volume II, de Nilto Maciel, reúne contos de três livros publicados anteriormente, ou seja, As insolentes patas do cão (1991), Babel (1997) e Pescoço de girafa na poeira (1999). É, portanto, uma antologia eclética, verdadeira simbiose literária, que mistura e revela as veleidades de um dos maiores contistas brasileiros, ao nos proporcionar, graças ao fluxo lingüístico, que reflete o fluxo de consciência, verdadeiro “reality show” da arte de narrar. Os três livros aqui reunidos, pela mesma lógica e pela mesma virtualidade da linguagem, não deixam de ser um só livro.
O autor tem uma visão iconoclasta da sociedade, caracterizada por ele de forma sarcástica, transformando o seu cotidiano modorrento numa grande aventura. O seu estilo é seco, incisivo, sem retoques, dando-lhe um padrão estético que é só dele, focando o discurso tanto nas personagens protagonistas, quanto nas antagonistas e até nas deuteragonistas. Os textos são desafiadores e caracterizam-se pela ambivalência onírica e princípios ideativos que fogem dos cânones tradicionais, misturando o real, ainda que tacitamente, com o fictício, para desafiar os dogmas existenciais, ou seja, o autor recria um universo assombroso cujo processo criativo faz parte do realismo fantástico de Gabriel Garcia Márquez e do absurdo kafkiano.

A sua linguagem é destituída de obesidades verborrágicas ou frívolas elucubrações, típicas da poesia, deixando o desenlace, como requer a modernidade, à mercê do inesperado. Não existem nos seus contos os interditos. O autor expõe as suas histórias, apresentando as tramas, que se intercalam e fluem para o mesmo estuário, onde se encontram, com total liberdade de expressão e submissão aos desejos, até porque a criatividade não pode e não deve ser embotada por quem desconhece essa linguagem mais ousada de alguém como o Nilto Maciel, que é um onímodo nato, que faz de seus textos um instrumento de magia! Daí o realismo mágico ou fantástico ou surrealismo! Como queiram!...

Os seus contos, engenhosamente construídos, fascinam também pelas alusões que faz a grandes nomes que marcaram a história da humanidade; a fatos e seres exóticos que surpreendem a toda a hora; às paixões carnais, desvirtuadas ou não; enfim, a tudo que, na mão do mestre, virou obra de Arte! E da boa!... Parabéns!

(Jornal Sul Brasil, Chapecó, SC, 29 de março de 2012)

/////