Pesquisar este blog

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Flor de sal (Clauder Arcanjo)




  









Na raiz, solidão dos abandonos,
A semente de pés crestados:
Pelo sol, pelo mar, pela avareza dos homens.
No caule, pesponto dos suores,
A brancura azul das marés vazantes.
No cume, a augusta flor do sal,
Prisma indecifrável, exéquias das areias brancas.

Mossoró-RN, 30/11/2012

/////