Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de março de 2013

Sons (Pedro Du Bois)











Escuto no som
a constância
com que se repete:

     água contra a vidraça
     olho o escuro
     da noite. O relâmpago
     rasga a imaginação
     em medos

esqueço o poema
e me lanço
ao encontro: encurto
a distância e o som
resta lamentos.



/////