Pesquisar este blog

terça-feira, 5 de junho de 2007

Concórdia na órbita da Terra (Nilto Maciel)























(Quadro de Frans Post)



Salomão Morais foi o primeiro brasileiro a traduzir o De Orbis Terrae Concordia, de Guillaume Postel. Aliás, contam-se às dezenas suas traduções de obras antigas. Entre outras, citam-se O Mistério de Eva, Canção dos Nibelungos e A Morte do Rei Artur.
Latinistas de renome, como Girolano Bramante, apontaram inúmeros senões nessas traduções. Há trechos ininteligíveis.
Autor de alguns bons livros — sobretudo o Cantares — Salomão é um dos mais conceituados estudiosos da vida e da obra do escritor francês. Já é clássico seu ensaio Postel: Cristão ou Muçulmano? No entanto, seu mais polêmico livro é Postel na Meca, onde relata e analisa a passagem do professor pela cidade sagrada do Islã.
Um dos trechos mais intrigantes do ensaio é este: “O jesuíta beijou a pedra negra. Em seguida desnudou-se e, como em delírio ou êxtase, tentou abraçá-la. Seu corpo tremia. Em seus olhos havia certa cupidez asinina”.
Deboche ao islamismo — sentenciaram alguns.
O estudioso brasileiro, dono de uma das mais ricas bibliotecas particulares do mundo, é também acusado de falsificar a História e de furtar livros raros de bibliotecas públicas. Seu exemplar do De Orbis teria pertencido à Biblioteca do Vaticano. Salomão alega ter adquirido o livro numa loja de antigüidades, em Paris. Se alguém o furtou, este alguém seria membro da Igreja Católica.
Além disso, o acervo iconográfico de Salomão contém gravuras tidas como falsificações. Numa delas, Guillaume Postel aparece montado num camelo e lendo o Alcorão. Segundo Salomão, a pintura é obra de Frans Post.
Entidades holandesas e francesas ameaçaram processar o literato brasileiro. O autor de Paisagem Rural não pintaria tela tão ordinária. As pinturas atribuídas a Post seriam obra de Hubert Heinsius, um impostor. Tendo vivido entre 1655 e 1723, apresentava-se como herdeiro do pintor holandês. Pintava quadros de notória pobreza conceptual e os vendia como se pintados por Frans Post.
/////