Pesquisar este blog

terça-feira, 19 de abril de 2011

Lua (Carmen Silvia Presotto)



Entra...
tua sombra me tecerá ao natural.
Entra lua...
me dilui tua brocada teia.
Vem...
Lua Poesia
balsâmicas mãos ao meu baú de ossos.

Vem...
sorve meu sangue
e com tua carne,
sejamos disfarces entre mil leituras.

Lua Poesia
sou música
sou anjo
ou Quixote

Teu ser me venta
nuvem
e desintegro em luz

Lua Poesia
da Morte, sou tuas asas...
dos dias,
entre moinhos e penas,
contorno
e sombras,
jogos de sempre...

No Sena
e rios do amanhã
resenha entre mãos
bailaremos
a um Cer(a) vante.

/////