Pesquisar este blog

sábado, 10 de agosto de 2013

Contos que encantam (Silvério da Costa)




Luz vermelha que se azula é um livro de contos, de Nilto Maciel, dividido em três partes. Na primeira, temos um conjunto de contos que reflete a existência humana, de forma eclética e palpitante, porque ditadas pelo inconsciente, sendo, portanto, uma série de histórias que brincam com coisas sérias, descambando, às vezes, para o lado zombeteiro, quanto para o lado respeitoso, dependendo, naturalmente, do contexto e daquilo que a natureza humana determina, inclusive a personificação de uma plêiade de bichinhos, domésticos ou não.

Na segunda parte, a temática é mais caseira, já que a abordagem é calcada na vida pregressa do autor, auxiliado, de alguma forma, pela sua portentosa imaginação, num tom quase confessional, o que intensifica a paixão pelo mundo infanto-juvenil, resgatando fatos contextuais do dia a dia, trazendo-os para perto do leitor, narrados em primeira pessoa, além de outras ferramentas que o consagraram como um dos mais respeitados nomes do conto brasileiro. O cenário é composto por espelhos que captam e refletem imagens belíssimas da existencialidade.

Os contos da terceira parte, associados ao mundo do realismo fantástico, dão um mergulho na fantasia para trazer à vida certas pessoas e/ou personagens que foram verdadeiros ícones do tempo em que viveram, como Alfred Hitchcock, Mao-Tse-Tung, Charles Darwin, Nero, Padre Cícero, Lampião, Hitler, Stalin e tantos outros, denunciando a hipocrisia de que se revestiam, sem cair na vulgaridade e apresentando, invariavelmente, um final inesperado, como sói acontecer com os grandes contistas, surpreendendo o leitor.

O livro, como um todo, revela um trabalho emblemático, que percorre os caminhos da literatura, fazendo chegar ao leitor algumas de suas vertentes prediletas, como a condição humana, a natureza, a vida rodeada pelos seus abismos, a transcendentalidade e tantas outras que levam o leitor a refletir. A linguagem é despojada, mas elegante, disciplinada, persuasiva, que flui, que tem musicalidade, o que reforça o seu caráter literário, uma vez que prima pela diversidade com qualidade e poder de síntese. Parabéns! Vejam:

(transcrição do conto “Diálogo de protagonistas”)

(Jornal SulBrasil, Chapecó, 11/julho/2013)

/////